terça-feira, 29 de Março de 2011

Desistir ou parar de lutar por algo impossivel?

O mundo nos nossos ombros... a sensação de que não nos conseguimos sequer levantar. Não queremos fazer nada, falar com ninguém, nem prestar a mínima atenção ao que quer que seja. A pressão para fazer algo é demasiado elevada para nos deixar respirar, dando-nos a única escolha possível: deixar-nos estar. Desistir, por outras palavras. Lutar por algo já não faz sentido, e as pessoas que uma vez queríamos proteger, não passam agora de meros peões no jogo de xadrez que é a nossa vida. E nós, Reis na nossa vida, ficamos parados, à espera do xeque-mate, que trará finalmente a paz que em vida nunca teremos. Aguardamos o fim. Esperamos ser mais felizes sem vida do que vivos mas sem nada pelo que viver.

segunda-feira, 7 de Março de 2011

S.O.S.

Doses letais de desolação rodeiam-me, enquanto, desesperado, procuro uma maneira de sair das trevas que rodeiam a minha própria existência. Procuro a bóia de salvamento por entre uma e outra onda, enquanto me afogo neste mar de tristeza. Olho em volta, procurando a luz, na escuridão da minha vida. Digo para mim "Só mais um esforço, estás quase lá", e assim permaneço à deriva, esperando conseguir sair do mal da vida, e encontrar, de uma vez por todas, a felicidade na minha vida.

quarta-feira, 23 de Fevereiro de 2011

A galeria do coração

Procurando respostas, caminho pelos caminhos obscuros da minha mente. Vejo, expostos, como se fossem quadros numa galeria de arte, os meus pensamentos mais tenebrosos. Tremo ao ver aquilo que a minha imaginação cria. Os cenários mais catastróficos, histórias trágicas, planos de vingança horrendos. Mas não é tudo mau. Por entre essas imagens assustadoras, alguns quadros representam esperança, as pessoas que significam algo para mim, as coisas que fazem a diferença na minha vida, o que gosto de fazer. Ao olhar para tudo isso, penso no tipo de pessoa que sou. Serei mau por ter ideias horríveis, ou serei apenas normal, com ideias vingativas, mas também com amor?

quarta-feira, 5 de Janeiro de 2011

O Hi-score da Vida

Algum dia isto tem de virar... é nisso que as pessoas confiam. Uma esperança, de que um dia algo aconteça que faça todas as tristezas anteriores valerem a pena. Se esse momento alguma vez chegar, a pessoa torna-se a mais feliz do mundo, e tudo o que vier a seguir não a atinge, porque aquele momento actua como escudo protector, que lhe permite continuar em frente, sem ligar a desavenças. Mas, se esse momento nunca chegar, o que acontece a essa pessoa? Fica à deriva toda a vida, ansiando pela corda que a vai salvar do mar de tristeza deste mundo? Vai deixar-se levar pela corrente de destruição que muitos preferem escolher em vez de continuar a lutar por uma vida melhor?
Tentar é o primeiro passo para o falhanço. Então, não é "Tentei", é "Consegui". Nunca desistir de fazer as coisas, esse é o passo para a felicidade. Se nunca lutar, nunca perde, é certo, mas também nunca ganha.
Se a vida é um jogo, vamos tentar a pontuação máxima.

quinta-feira, 23 de Dezembro de 2010

A busca pela paz

Bestas caminham na escuridão,
Monstros Horrendos e sem perdão,
Seres amaldiçoados que vivem à deriva,
Vivem do medo e da má disposição.

Procuram, no entanto, a paz interior buscar,
Tentam e tentam, mas voltam a falhar,
Numa luta sem fim, desgosto profundo,
caem numa angústia, numa dor sem fundo.

Pela terra, pelo mar e pelo ar,
procuram alguém que não os tente amaldiçoar.
Mas todos os lugares são cativos
do pensamento de que eles só querem aterrorizar.

Será a sua busca algum dia bem-sucedida?
Será que encontraram pensamentos à sua medida?
Continuem, horrendos monstros, a buscar,
E, com certeza, a vossa paz interior irão encontrar.

Poema que me lembrei de escrever, mesmo sabem que não tenho jeitinho nenhum para isso xD

terça-feira, 21 de Dezembro de 2010

Aborrecido...

Letárgico, é assim que me sinto... o mundo gira à minha volta, aborrecido como sempre, com as mesmas más notícias na televisão, os mesmos filmes aborrecidos na estante, os mesmos jogos repetitivos na secretária, as mesmas pessoas com ar perdido nas ruas e o tempo cinzento, chuvoso e ventoso, que espelha no mundo exterior o que sinto por dentro.
A decisão de levantar e fazer algo é deixada de lado completamente, ao primeiro sinal de aborrecimento. Os dias andam a passo de preguiça, sem deixar margem para qualquer momento mínimo de diversão. As distracções do dia a dia são inúteis, porque até essas acabam por ser chatas após algum tempo. A única alternativa é viver esta vida insignificante, longe de qualquer coisa que possa possivelmente trazer ainda mais chatices a esta já chata existência.
"Viver não é viver a menos que haja algo para fazer."
Esta frase prova-se completamente verdade, pois, fazendo nada, somos apenas um desperdício de espaço e alimento...

quarta-feira, 15 de Dezembro de 2010

Erros estúpidos

Bem, todos fazemos coisas estúpidas, de vez em quando. Mas não gosto de repetir sempre a mesma asneira. Sempre, sempre, sempre, sempre, sempre, sempre, a mesma coisa. É estúpido. Cair no mesmo erro tantas vezes é desnecessário. Mas pronto, tinha de ser comigo, logo comigo. Faço sempre o mesmo, nem sei como alguns ainda me consideram inteligente... devem estar a ver outra pessoa, ou então não sei. Mas, se sou mesmo inteligente, então a minha inteligencia veio com uma falha grave, porque isto não pode ser normal. E sim, mais uma vez, um post-desabafo, porque me apeteceu. Mais uma vez, mantendo o random do blog, queria apenas deitar isto cá para fora. Espero que pelo menos tenha saído um bom texto, porque hoje, mais uma vez, nem vou revisionar o que fiz. Mais um erro estúpido. Fogo, estou numa onda de idiotices....